Direção10
Roteiro10
Trilha Sonora10
Direção de Arte10
10Overall Score
Reader Rating: (0 Votes)
0.0

Confesso que não estava empolgado para assistir este filme. Me pareceu um longa recheado de clichês. A garota com câncer, o menino que se apaixona por ela, o negro pobre, o jovem rico que não ganha atenção dos pais e assim vai. Felizmente eu estava errado. Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer é mais empolgante e emocionante do que se pode imaginar.

Greg (Thomas Mann) é um jovem que ao lado de Earl (RJ Cyler), seu colega de trabalho, assim como o descreve, fazem filmes caseiros motivados por seu amor pelo cinema. Greg se esforçava para viver o mais anonimamente possível. Estava sempre cercado de figuras excêntricas e assim era a sua vida. Até que sua mãe o obriga a visitar uma garota, colega de classe de Greg, que está com leucemia. Então Greg vê sua rotina abalada e entra em conflito consigo mesmo.

1288fe3341f2203c06c9ff64e559bb64

Este filme é tão esteticamente bonito e colorido que um cinéfilo de primeira viagem poderia facilmente confundi-lo com um filme do Wes Anderson. A direção de arte deste filme foi extremamente competente. Poderia fazer uma outra crítica falando apenas dos méritos na parte técnica deste filme. Todo o trabalho deixou a história mais agradável e fascinante.

Como disse acima, Greg está cercado de pessoas excêntricas. Seu pai que fala com gatos, seu professor tatuado, o gótico que é seu amigo e outros. Contudo, o próprio protagonista tem suas excentricidades. Ele se detesta e detesta o seu trabalho. Isso fica evidente sempre que ele fala dos seus filmes. Isso é algo interessante do roteiro. Mostrar que ele está cercado de pessoas diferentes, mas talvez ela seja o diferente.

Brody-Me-and-Earl-and-the-Dying-Girl-690

A relação da Rachel (Olivia Cooke), a garota com leucemia, com o Greg ás vezes deixa a pergunta: vai rolar algo ou eles são de fato apenas amigos? Não posso prosseguir sem dar spoilers. Então recomendo que você assista o filme e se encante com sua belíssima edição, fotografia e trilha sonora. Sem dúvidas este longa foi um trabalho impecável do diretor Alfonso Gomez-Rejon. Ele já havia participado de bons trabalhos com o Alejandro González Iñárritu. Tais como 21 Gramas e Babel. Ficarei ansioso para ver mais filmes dele.

About The Author

Crítico de Cinema

Escritor que sofre de amnésia, cronista, músico, fã de cinema, futuro roteirista, amante de todo tipo de arte e... o que eu ia falar? Oh, droga.