Recentemente foi lançado o filme “Pegando Fogo” aqui no Brasil, que por sua vez foi protagonizado pelo nosso astro Bradley Cooper. O filme não está sendo um grande sucesso como esperavam. Contudo, a atuação do Cooper chamou a atenção. Dessa vez ele interpretou Adam Jones, um cozinheiro arrogante, ambicioso e muito instável. Um personagem que exige um pouco mais do ator, mas nosso astro deu conta.

Pegando Fogo me lembrou muito os filmes Cisne Negro (2011) e Whiplash (2015). Os protagonistas desses dois últimos também focam na perfeição. Os personagens principais desses longas foram interpretados respectivamente pela Natalie Portman e Milles Teller. Ambos se saíram muito bem no papel e a Natalie Portman chegou inclusive a receber um Óscar pela atuação.

Não creio que essa atuação garantirá uma indicação do Óscar. Mas é inegável a melhora que ele teve durante esses anos. Cooper começou sua carreira na série Sex and the City. Após isso autou em outras séries como Alias e Nip/Truck. Curiosamente ele já interpretou um chef de cozinha. Isso foi no seriado Kitchen Confidential que foi baseado no livro do chef Anthony Bourdian.

Sua participação no filme Sim, Senhor!, protagonizado pelo Jim Carrey, foi um ponta pé em sua carreira, o que lhe fez estrelar filme como Ele Não Está Tão Afim de Você e Se Beber, Não Case!. Esse último foi o que impulsionou sua carreira. Sua maior chance de mostra seu talento foi no filme O Lado Bom da Vida, no qual ele interpreta um homem com transtornos bipolares. Sua atuação lhe rendeu uma indicação ao Óscar de melhor ator coadjuvante.

se beber

Só é possível medir a capacidade de atuação de um ator quando ele interpreta personagens diferentes. Por exemplo, o Tenente Cara-de-Pau do filme Esquadrão Classe A não tem nada a ver com o Chris Kyle, atirador de elite do filme Sniper Americano. E nos dois o Cooper foi bem, embora acho que ele poderia ter sido melhor em Sniper Americano. Ele se saiu bem em Trapaça. Tanto é que recebeu uma indicação ao Óscar, mas bateu na trave também.

Depois que vi Pegando Fogo me mostrou como esse cara (Bradley Cooper) está melhorando. Chegará o dia em que um diretor incrível terá um roteiro ainda mais e incrível em mãos e o chamará para e o protagonista. Aí haverá a chance real de levar uma estatueta dourada pra casa. Pode ser que isso demore, pode ser que seja já no ano que vem. Quem sabe?

Chef-Breadley-Cooper

Para você que é fã de verdade do Bradley Cooper, tenho uma boa notícia. Ainda este ano lançará o filme Joy estrelado pela Jennifer Lawrence e dirigido pelo David O. Russel. A boa notícia é que Cooper já trabalhou com este diretor em O Lado Bom da Vida e Trapaça. Curiosamente ele contracenou com a Jennifer Lawrence nesses dois longas também. E foi indicado ao Óscar de Melhor Ator Coadjuvante nos dois filmes. Será que rola uma indicação? Será que dessa vez vai? Vamos esperar.

O que faz de um ator, um bom ator, não é apenas o seu talento, mas os projetos em que participa, os diretores com quem trabalha, os personagens que interpreta etc. Assim como ele muitos outros atores estão evoluindo. O que é bom, pois pressiona a nova safra de atores a serem cada vez melhores. E assim, veremos filmes bons cada vez mais. Ou ao menos veremos boas atuações.

About The Author

Crítico de Cinema

Escritor que sofre de amnésia, cronista, músico, fã de cinema, futuro roteirista, amante de todo tipo de arte e... o que eu ia falar? Oh, droga.