Vire e mexe um direto brasileiro nos presenteia com um belíssimo filme. Dessa vez foi o Fernando Coimbra que nos deu “O Lobo Atrás da Porta”, um filme que conta a história do caso que ficou famoso como Fera da Penha. Este longa poderia ser mais um filme policial que leva ao final que todos conhecem. Caso solucionado, criminoso na cadeia e assim vai… Contudo, esse filme mostra o relacionamento dos envolvidos e como as circunstâncias chegaram aquele ponto.

O filme já começa nos apresentando o problema: o sequestro da garotinha. Então os pais, a professora e a amante são chamados a depor. De pouco a pouco vai sendo mostrado uma rede de mentiras e traições que infelizmente é algo comum. Bernardo não estava satisfeito com o seu casamento e se envolveu com Rosa. A relação entre os dois ficou difícil quando a Rosa começou a ficar obcecada pelo rapaz, que por sua vez estava se questionando se deveria ou não continuar com aquilo. O clímax ocorre quando a Rosa sequestra a garotinha para se vingar de Bernardo, que a fez abortar, e então a mata sem nenhuma piedade.

Foto7-0

A situação abordada em O Lobo Atrás da Porta é mais comum do que se imagina. Quantos casais não descobrem uma traição e acabam se vingando do cônjuge? Obviamente o desfecho desses casos não são como o retratado no longa. Mas aquilo nos leva a um pensamento. Uma criança pagou com a vida por um crime que não foi dela. Toda aquela relação doentia que se estabeleceu acabou em um horror tão grande que surpreendeu toda a população do Rio de Janeiro.

Relacionamentos interpessoais são complicados de serem mantidos. Atitudes irracionais podem pôr tudo a perder. Assim como retratado no longa, a relação daquele triângulo amoroso era construído a partir de mentiras. E essa relação ficou instável. Tão sensível como uma taça de cristal. Um deslize acabaria com tudo. A Rosa engravidou. Ela queria ter o filho, mas o Bernardo, vendo que isso destruiria de vez o seu casamento, a forçou a abortar. E para encerrar aquela relação cheia de ódio, a Rosa matou a filha de Bernardo.

Foto4-0

É realmente impossível duvidar do ser humano. Tudo poderia ter sido evitado se o Bernardo tivesse conversado com a sua esposa e tentado ressuscitar seu casamento. Rosa poderia ter dado um ultimato nele e dito: ou ela ou eu. Sylvia poderia também ter conversado com o Bernardo e tentado melhorar sua relação com ele. Mas o que houve foi uma série de erros e mentiras que após ter chegado ao nível crítico, acabou da pior maneira que poderia. Mas afinal, como aquilo poderia terminar bem?

O Lobo Atrás da Porta foi muito elogiado pela crítica especializada e recebeu diversos prêmios. A fotografia do filme é um mérito a parte. Os planos são claustrofóbicos e a câmera segue os personagens de uma maneira que parece que há alguém os observando. Um lobo atrás da porta. E isso coloca o espectador como cumplice de tudo aquilo. Fernando Coimbra foi magnifico.

No mais, o longa nos deixa um reflexo da sociedade. Mesmo a história se passando na década de 60, ainda hoje, 50 anos depois, podemos ver casos parecidos acontecendo. Pode até parecer uma fala pessimista de minha parte, mas esse filme nunca deixará de ser atual. Mas o pior de tudo, o que faz aquele caso se tornar ainda mais bárbaro, é saber que tudo aquilo poderia ter sido evitado.

About The Author

Crítico de Cinema

Escritor que sofre de amnésia, cronista, músico, fã de cinema, futuro roteirista, amante de todo tipo de arte e... o que eu ia falar? Oh, droga.