[Clique na imagem acima para assistir o vídeo com os detalhes da seleção]

O ano de 2015 foi repleto de leituras de diferentes gêneros ( Romances, Poesias, contos, Romances Gráficos, peças teatrais e outros), histórias e personagens. Além disso, tive o prazer de conhecer autores como José Saramago, José J. Veiga, Rubem Fonseca, Philip Roth, Aldous Huxley, George Orwell e muitos outros, além de me deliciar com meu autor preferido:  Carlos Drummond de Andrade. Faço uma humilde lista indicando as 15 melhores leituras do ano de 2015. [Clique nas capas dos livros para assistir as resenhas específicas.]

1. Os Cavalinhos de Platiplanto

José J. Veiga | Companhia das Letras

13836_gg

2. Nêmesis

  Philip Roth | Companhia das Letras

ndice

3.  Admirável Mundo Novo

 Aldous Huxley | Biblioteca Azul

images.livrariasaraiva.com.br

 4.Outros Eram Apenas Ossos

Leonardo Triandópolis Vieira | Leio Eu Editora

cAPA FINAL FRENTE

5. Sombras de Reis Barbudos

José J. Veiga | Companhia das Letras

images

6. Festa No Covil

Juan Pablo Villalobos | Companhia das Letras

13076_gg

7. Amálgama

Rubem Fonseca | Nova Fronteira

amal

8.Fahrenheit 451

Ray Bradbury | Biblioteca Azul

fah

9. Um céu mais perfeito

Dava Sobel | Companhia das Letras

ceu

10. 1984

George Orwell | Companhia das Letras

1984

11. Na Berma de Nenhuma Estrada

Mia Couto – Companhia das Letras

images.livrariasaraiva.com.br

12. Em Casa – Uma Breve História da Vida Domestica

Bill Bryson | Companhia das Letras

13000_gg

13. Dois Irmãos

Milton Hatoum | Companhia das Letras

dois irmaos

14. Alguma Poesia

Carlos Drummond de Andrade | Companhia das Letras

alguma

[/column]

15. Ensaio sobre a Cegueira

José Saramago| Companhia das Letras

ensceg

Não se esqueça de inscrever-se em nosso canal do Youtube (Clique Aqui) e acompanhar nossos vídeos.

About The Author

Crítico Literário

Fundador, Editor e proprietário do Cine Eterno e estudante de Engenharia Civil mas fascinado pela magia e poesia do cinema e da literatura. Acredita na potencialidade da arte como complemento do modo de vida humano, auxiliando, desvendando e por vezes mitificando diversos conceitos pessoais do homem. Como diria Chaplin " Num filme o que importa não é a realidade, mas o que dela possa se extrair a imaginação"